Desmontando a base do volante do SP2 - Parte 2

janeiro 15, 2013

Agora chegou a hora de desmontar todo o conjunto. Começamos com as alavancas de comando, primeiro a dos piscas. Para começar, soltamos quatro parafusos que se encontram nas laterais das peças. Eles são um pouco longos e presos diretamente na base de metal do volante.
 Base do volante do Volkswagen SP2_09

Após soltar os parafusos, basta puxar o conjunto da alavanca dos piscas e depois o do limpador de pára-brisas. Note que existem 4 pequenos tubos metálicos que servem de guia para os parafusos (na foto abaixo eles aparecem fixos na alavanca do limpador.

Base do volante do Volkswagen SP2_10

Na alavanca do limpador existe um mecanismo um tanto complexo e muito frágil e que, por isso, é difícil encontrarmos um SP2 com ele funcionando. Trata-se do mecanismo que esguicha água nos vidros. Ele é mecânico, pneumático e elétrico, tudo ao mesmo tempo. Eu explico: o sistema utiliza o ar proveniente do estepe, que pressuriza a água do reservatório e a envia pelas tubulações até o esguicho (brucutu). Este fluxo de água é controlado por um diafragma que se abre quando puxamos a alavanca do limpador em direção ao volante. Abaixo vemos um detalhe da peça, com a entrada/saída de água. A água entra pelo bocal de baixo e sai para o brucutu pelo bocal de cima. A peça azul no meio dos bocais é um espaçador plástico que evita que eles se movam quando estão instalados na base do volante.

Base do volante do Volkswagen SP2_11

As próximas fotos detalham o sistema elétrico e o pino do diafragma.
Quando puxamos a alavanca um pino move-se no sentido da seta vermelha e pressiona outro pino (círculo verde) que abre o diafragma, liberando o fluxo de água. Ao mesmo tempo, uma palheta metálica fecha contato (círculo azul) e faz com que os braços do limpador movimentem-se para limpar o pára-brisas, isso enquanto a alavanca é puxada, depois eles voltam à posição de descanso.

Base do volante do Volkswagen SP2_12

Soltando-se dois pequenos parafusos, podemos tirar a peça do diafragma. É bom certificar-se de que não tem nenhuma sujeira entupindo os bocais.

Base do volante do Volkswagen SP2_13

A próxima foto mostra, em detalhe, o pequeno pino do diafragma. Estas peças são todas de plástico e são muito pequenas, por isso requerem um cuidado extra na sua limpeza e manuseio.

Base do volante do Volkswagen SP2_14

Após a retirada das alavancas, temos acesso a dois parafusos que irão liberar o cilindro da ignição, como mostra a foto abaixo.

Base do volante do Volkswagen SP2_15

Soltos os parafusos, podemos retirar uma peça metálica que serve de trava externa para o cilindro.

Base do volante do Volkswagen SP2_16

Viramos então a base do volante e, pela parte de trás, pressionamos o "gatilho" do mecanismo de trava do volante (seta vermelha), ao mesmo tempo em que empurramos o cilindro para frente.

Base do volante do Volkswagen SP2_17

Feito isso, o cilindro já estará liberado.

Base do volante do Volkswagen SP2_18


Agora podemos realizar a manutenção/lubrificação do cilindro de ignição. Para soltarmos o cilindro das chaves (muito útil quando precisamos trocar o segredo das chaves) introduzimos uma pequena chave-de fenda, do tipo de relojoeiro, em um orifício na lateral da peça, pressionando uma mola que irá liberar o mecanismo.

Base do volante do Volkswagen SP2_20

Base do volante do Volkswagen SP2_21

Já para liberarmos a base do cilindro (onde estão os contatos elétricos), soltamos um pequeno parafuso (circulo vermelho) na base da peça, e puxamos os contatos para trás. Notem que não existe o tal parafuso na peça que eu comprei.

Base do volante do Volkswagen SP2_22

Base do volante do Volkswagen SP2_23

Com isso, chegamos ao fim de mais esta etapa. Na próxima postagem eu mostrarei como tirar o rolamento da haste do volante.
Até mais.

Talvez você goste também:

0 comentários

Deixe aqui seu comentário.

Curta Nossa Fanpage

Seguidores do Google+

Seguidores do Blogger