Sistema de ventilação forçada (2)

julho 09, 2011

Dando continuidade a postagem anterior, vou mostrar mais um pouco do processo de desmontagem do sistema de ar frio do SP2.
Na parte de baixo, no lado esquerdo da peça, existe uma espécie de dreno de latão que deve servir para drenar água que, porventura, penetre no sistema através das grelhas do pára-brisa. Basta soltar a porca para tirar o dreno pela parte de dentro do bojo.

O próximo passo foi tirar o motor do ventilador de dentro do bojo. Tiramos a tampa plástica para dar acesso ao motor e a hélice.


A hélice está presa ao motor através de um eixo com uma saliência central, onde um parafuso Allen o mantém preso. Use uma chave de 2,5mm e um pouco de desengripante para soltá-lo.

Eu tentei soltar a hélice do seu eixo, passando desengripante e dando pequenos golpes na ponta do eixo, mas não tive sucesso. Para evitar danos ao rotor ou desalinhar a hélice, resolvi deixá-la no lugar. Aliás, por falar em alinhamento, a hélice possui alguns contrapesos em partes específicas, usados para deixá-la alinhada e não trepidar quando o motor está em funcionamento.

O local onde os fios do motor estão conectados é uma pequena peça retangular parafusada no bojo e é facilmente retirada para manutenção. esta peça possui três conectores e uma resistência metálica, responsável pelas duas velocidades do ventilador.

Esta resistência não possui nenhum anteparo, nem é envolvida em cerâmica como nas atuais, por isso tenha o máximo cuidado ao manuseá-la e limpá-la. A peça tem a marca MC e seu número é 149.959.231.1. Há também a descrição do circuito marcado em cada conector e as especificações da resistência, que são 5A e 1,5ohm.

Soltando-se os três parafusos traseiros, conseguimos facilmente retirar o motor de dentro do bojo. Estes parafusos possuem mancais de borracha que ajudam a evitar a trepidação da peça.


O motor é da marca Wapsa e datado do mês 2 de 1975.

Depois de uma boa limpeza externa, retirei os dois parafusos compridos que prendem a carcaça do motor. Desta forma pude verificar como estavam os carvões e o estado geral do coletor da bobina. Para minha sorte estava tudo em bom estado. Dei uma lubrificada de leve no mancal, utilizando graxa com grafite e fechei tudo com muito cuidado para não deixar o eixo com folga nem muito apertado.

Aqui vemos o bojo pela parte interna, com a furação dos parafusos que prendem o motor e com o furo de passagem dos fios.

A essa altura eu já havia lavado todas as peças "extras" do sistema (encaixes e mangueiras) para retirar o pó que foi se acumulando durante todos estes anos.

Na realidade, faltam algumas peças no sistema de ar frio do meu SP2. Ainda existem mais quatro mangueiras longas (com cerca de 1 metro cada) e que vão conectadas nas duas conexões em formato de "Y" que vemos na foto acima e levam o fluxo de ar para os difusores e para o desembaçador.

A foto abaixo mostra o sistema completo, com todas as peças.


Notem que existe um cano plástico preso ao dreno inferior do bojo. Resta saber onde a outra extremidade vai conectada.
Este assunto não terminou aqui. Ainda vou pesquisar mais sobre o sistema e tirar mais algumas fotos e, em breve, postarei aqui.

Talvez você goste também:

2 comentários

Deixe aqui seu comentário.

Curta Nossa Fanpage

Seguidores do Google+

Seguidores do Blogger